Eleições 2020 – O caminho sinuoso que leva ao poder em Estreito-MA

Eleições?! Já?! Para o cidadão comum essa é a reação muitas vezes espantada quando se fala em eleições antes mesmo do mês de outubro de 2019. Mas para o cidadão político, quem tem alguma pretensão nas eleições municipais do ano que vem e ainda não ativou o modo eleitoral até este momento, está muito atrasado.

A surpresa porém, fica para poucos. Faltando alguns dias para a contagem regressiva; muito já se fala e se planeja nas tocas. Notadamente, cada vez mais pretensos candidatos vão aparecendo; alguns numa tentativa inútil de jogar seu nome ao mar e ver se flutua, outros só não se declaram abertamente candidatos por uma questão de legislação.

Verificamos que nos principais grupos do município de Estreito, os enredos já estão enriquecidos pelo drama viciante da novela política. Ciúmes, traições, armações, jogadas inesperadas, enfim, tudo que podemos esperar da sede incontrolável pelo poder.

Nesse momento, alguns nomes já se destacam e esquentam o ambiente. Alguns podemos definir com certeza que lançará seu nome à prefeitura de Estreito, entre eles está a incansável Verbena Macedo. Dona Verbena jamais abandonou a busca e mesmo quando se imaginava que ela estava parada, nos mostrou que era apenas uma questão de ótica.

Se formos analisar mais friamente, Dona Verbena nunca deixou de fazer sua campanha. Continuou sua caminhada demonstrando uma força até admirável, demonstrando que as derrotas do passado deixaram cicatrizes, mas não a desmotivaram. Junto a seu grupo, continuou seu trabalho ao lado do cabeça da equipe, seu irmão Deoclides Macedo e ambos mantêm vivo o desejo não só de assumir o principal cargo político de Estreito, mas de reconquistar o trono em Porto Franco, cidade natal e forte colégio eleitoral do grupo Macedo.

Se a primeira tarefa é extremamente difícil, a segunda é mais simples pois além da força que o grupo goza em Porto Franco, conta com a ajuda do atual prefeito daquela cidade, Nelson Horácio que vem desempenhando um papel muito abaixo do que se esperava como prefeito. De fato, a prefeitura de Porto Franco está sendo entregue de mãos beijadas ao grupo Macedo, por conta do governo infeliz do atual prefeito.

Outro nome que surge é o do empresário Willian Vilar. Vindo de uma família querida em Estreito, filho do primeiro prefeito da cidade, hoje Willian sonha em entrar para a política e já em sua estreia já quer assumir a direção do ônibus.

Não esconde o desejo, seu nome sempre aparece em eventos da cidade pois antes dos robôs e internet, esta era uma forma eficaz de impulsionar um nome, sentir sua aceitação diante dos eleitores e ter a certeza se dá ou não para encarar uma briga desse porte.

Willian tem em sua base a família, além de seu pai ex-prefeito, conta com os irmãos Amaral Vilar que hoje é vereador e José Wilson Vilar, que além de vereador foi secretário municipal em várias pastas no município.

Além da família, Willian conta também com aquilo que parece uma excelente estrutura financeira para enfrentar uma campanha e isso tem que ser levado em conta. O que vamos observar mais seriamente é se ele vai conseguir aglutinar o principal, apoio popular. Caso isso não se confirme, vai ficar na vontade, de novo.

Outro que está quase garantido na disputa é o ex-deputado estadual e atual suplente de Deputado Estadual, Léo Cunha. Isso mesmo, o filho de Imperatriz, ao que tudo indica, quer ser prefeito de Estreito. Tanto que não pode ser chamado de forasteiro, afinal é indiscutível seu trabalho em prol do município de Estreito enquanto deputado, numa parceria com o prefeito Cícero Neco, que deixaria Bebeto e Romário (Copa de 94) com inveja.

Sem dúvidas foram muitas conquistas, benefícios para a população de Estreito, mas será que é suficiente? Uma questão que chama atenção é que a parceria já não existia mais desde as últimas eleições estaduais, onde o candidato a reeleição como Deputado Estadual, Leo Cunha, não recebeu a atenção esperada e isso causou um certo desconforto.

Hoje, Léo Cunha é praticamente um morador de Estreito, assumiu mesmo a cidade, tem morada e até mesmo realiza visitas aos velhos conhecidos, novos conhecidos e tenta formar um grupo respeitável para a disputa. Parece que está conseguindo, graças a seu histórico em prol de Estreito, seu nome por enquanto não enfrenta rejeição. Um ponto importante é que, como Willian Vilar, o aporte financeiro de Leo é considerável (sendo humildes); esta não é uma preocupação, é solução (desculpe a piada).

Cabe lembrar que Leo Cunha é suplente de Deputado Estadual, o que pode garantir um grande prêmio ao seu vice. Como? Simples, muitos Deputados Estaduais irão disputar diversas prefeituras no Maranhão; com isso, Leo Cunha terá as portas abertas para retornar ao Legislativo Estadual, deixando seu vice assumir a prefeitura de Estreito. Esta é uma opção real caso Leo Cunha logre êxito em sua empreitada em Estreito.

O atual prefeito Cícero Neco não pode entrar na disputa, por isso precisa escolher um herdeiro político, entre eles estão o atual Secretário de Saúde, Dr. Cassio Batista e o vereador Diney Noleto. Entra nessa briga por apoio o empresário Willian Vilar que já foi tema de estudo.

Diney Noleto é representante do quase clã Noleto, família que entra governo e sai governo, se mantém viva nos bastidores do poder. Diney está em seu segundo mandato como vereador e acredita estar maduro para evoluir e assumir a prefeitura. Muito popular, não é a primeira vez que tentar emplacar seu nome, mas só dessa vez ele realmente tem chances de se firmar, pois o dono do cajado vai ser obrigado a entrega-lo.

O clã Noleto corre contra o tempo para demonstrar força e garantir o apoio do atual prefeito, mas dizem as más línguas que não vai ser fácil convencer Cícero a entregar seu patrimônio político.

Já Cassio Batista é homem de confiança de Cícero, sempre esteve ao seu lado mesmo quando o nome do atual prefeito era apenas uma aposta, inclusive desta que vos fala. Cassio sempre fez parte do governo de Cícero como secretário e estrategista, para muitos ele deve ser mesmo o candidato do atual prefeito.

Corre nas más línguas que pressionado pelo próprio grupo, Cícero deixou em aberto e provocou uma espécie de corrida maluca, ou seja, quando chegar a hora, quem estiver melhor perante o público vai ser meu eleito. E quem não quer?

O vereador Diney e o empresário Willian correm contra o tempo, tentam a todo custo aparecer e usam de suas ferramentas para isso. Cassio não parece tão ansioso, mais calmo como o bom estrategista que é, se mantem afastado dos lobos e assim espera que o canibalismo os enfraqueça e ele consiga sair com menor dano possível dessa batalha.

Se para uns essa é uma atitude de certo modo justa por parte de Cícero, para outros pode suicídio. Ao brigar entre si, o grupo se enfraquece, fica vulnerável e só o dedo de Cícero apontando para o povo em quem votar pode não ser suficiente.

Bem, as eleições já começaram. Quem vai vencer suas batalhas? Em quem você aposta?